O EVENTO

VIVEMOS EM UMA SOCIEDADE MOVIDA A DADOS

Dados pessoais são a nova energia do mercado. Se por um lado as empresas querem tratá-los cada vez mais em prol da inovação, de tecnologias disruptivas, de serviços que a sociedade deseja, e, por que não, de negócios altamente rentáveis, por outro, as pessoas ainda não conhecem o real valor desses bens e o cedem, não raramente, em troca de descontos rasos ou de serviços quase gratuitos. Como esclarece Rony Vainzof, buscar o equilíbrio entre interesses sociais e econômicos, entre o público e o privado, entre liberdade, proteção e segurança, que jamais podem se contrapor, muito pelo contrário. Porém, esse processo está muito distante do ideal, pois, entre o tratamento de um e a cessão, onerosa ou não, de outro, temos o desconhecimento dos riscos, a falta de diligência, ocultação de incidentes, vazamentos, comprometimento da imagem, violação de segredos, sequestro digital, oscilação na Bolsa de Valores, multas bilionárias e o tratamento de dados pessoais no centro de todos esses assuntos.

Não por acaso, o mundo se movimenta para regular esse processo, primando pela privacidade e autodeterminação dos titulares. Não se advoga pela utopia da plena segurança. Dados são voláteis e sujeitos a erros humanos, de sistemas e de processos. Porém, é exatamente esse o ponto central: se não é possível, sabemos, garantir 100% de segurança, é necessário conhecer os riscos, mitigá-los e estabelecer com clareza os papéis e responsabilidades de cada parte envolvida.

Com essa promessa, em maio, o Regulamento Geral de Proteção de Dados Europeu completará (completou) seu primeiro aniversário, exibindo retrospectiva que envolve gigantes do mercado, a vulnerabilidade de bilhões de titulares e autoridades de importantes nações preocupadas e diligentes. E, em 2020, a Lei Geral de Proteção de Dados Brasileira entrará em vigor.
O tema é inadiável. E em sua segunda edição, o Congresso Internacional de Proteção de Dados traz autoridades e profissionais atuantes e altamente gabaritados para debaterem sobre sensíveis temas envolvendo proteção de dados e 3 salas simultâneas, com realização de painéis, workshops e trilhas sobre os assuntos mais relevantes à implementação das legislações sobre Privacidade e Proteção de Dados e seus impactos nos negócios.
Não perca essa oportunidade. Antecipe tendências e seja um agente transformador.  Inscreva-se!!

#CIPD2019

POR QUE PARTICIPAR DO CONGRESSO?

1. TENDÊNCIA, DILIGÊNCIA E COMPLIANCE
A LGDP entrará em vigor em agosto de 2020 e o programa para sua implementação reclama a dedicação de meses. Por isso, ser diligente, antecipar-se aos problemas e zelar, desde logo, pela conformidade é, sem dúvidas, um diferencial competitivo, o qual, no entanto, muito em breve, se limitará a uma obrigação legal, que, uma vez não cumprida, pode excluí-lo do mundo dos negócios.
2. MANUTENÇÃO E OPORTUNIDADE DE NEGÓCIOs

O mercado se movimenta para a conformidade e aqueles que não estiverem nesse caminho, certamente, ficarão à margem, não só da lei, mas, também dos próprios negócios. Afinal, a transferência de dados é uma das modalidades de tratamento e a exigência dos mesmos padrões de segurança já é cláusula obrigatória para a saúde empresarial.

3. AMPLITUDE E OPORTUNIDADES
A Lei Geral de Proteção de Dados brasileira (LGPD) institui o cargo de encarregado de proteção de dados, o Data Protecion Officer (DPO), como resultado da influência do GDPR europeu. Vivenciar a experiência do Congresso é um passo importante na preparação para ocupar tal posição.
4. NETWORKING

Com esta nova demanda de governança em proteção de dados e o risco de multas altíssimas, que podem chegar a R$ 50.000.000,00, as principais empresas que mantém operações no Brasil estarão no Congresso, assim como os grandes players do mercado de privacidade e proteção de dados. Trata-se de oportunidade única para aumentar sua rede de relacionamentos, trocar experiências e fechar negócios.

DEPOIMENTOS

PÚBLICO-ALVO

O Congresso Internacional de Proteção de Dados atrai profissionais das mais diversas áreas de atuação, que têm como interesse comum a privacidade e a proteção de dados sob as mais diversas perspectivas, jurídica, de compliance, tecnologia, gestão, negócios, entre outras.

Advogados, profissionais de compliance, DPO`s, CFO’s, CEO’s, CIO’s, CTO’s, controllers, auditores, consultores, funcionários públicos, integrantes de RH, suprimentos, marketing, controles internos, são alguns dos profissionais que certamente poderão extrair o melhor do Congresso.

O conteúdo possui abrangência geral e aplicação em todos os setores da economia, mas destacam-se:

002-lock
Security Empresarial
001-building a
Segurança Corporativa
auto
Automotivo
aviacao
Aviação Civil
farma
Farmacêutica
financeiro
Financeiro
fomento
Fomento Comercial
investimento
Fundo de Investimento
juridico
Jurídico
varejo
Varejo
seguradoras
Seguradoras
telecom
Telecom
ti
TI
servicos
Serviços
O conteúdo possui abrangência geral e aplicação em todos os setores da economia, mas destacam-se:
002-lock
Security Empresarial
001-building a
Segurança Corporativa
auto
Automotivo
aviacao
Aviação Civil
farma
Farmacêutica
financeiro
Financeiro
fomento
Fomento Comercial
investimento
Fundo de Investimento
juridico
Jurídico
varejo
Varejo
seguradoras
Seguradoras
telecom
Telecom
ti
TI
servicos
Serviços